Alianças

As alianças geralmente tem a forma de um círculo, figura geométrica que simboliza a perfeição, a unidade perfeita sem começo ou fim.
Acredita-se que os Faraós do Egito foram os primeiros a usar um círculo, sem começo ou fim, como um símbolo da eternidade, mas usar uma aliança como promessa pública de honrar um contrato de casamento não se tornou comum até a época Romana, as primeiras alianças eram feitas de ferro

As alianças em ouro com pedras preciosas tornaram-se moda na época Medieval. As gemas mais populares eram simbólicas – o Rubi (vermelho) era a cor do coração, a Safira azul refletia o céu – porém a mais apreciada e poderosa pedra preciosa era (e ainda é) o “indestrutível” diamante.

Os egípcios foram os primeiros povos a idealizar as alianças como símbolo do casamento. Por não ter começo nem fim, o círculo significava para eles a eternidade que o casamento representa.
Dois mil anos depois os gregos passaram a acreditar que o dedo anular esquerdo possuía uma veia ligada diretamente ao coração e que este poderia ser atraído com um ímã. Daí surgiu o uso do anel de ferro neste dedo, para que os casais permanecessem atraídos um pelo outro para sempre. Os romanos adotaram o mesmo costume e a igreja conservou a tradição até nossos dias.

Mas foi em 1549 no Livro de Orações Comuns que foi designada a mão esquerda como “mão do casamento”, uma tradição reconhecida e praticada até hoje em todo o mundo.

Outro fato interessante é que até o século XIII não havia aliança de noivado ou compromisso. O Papa Inocente III declarou que deveria haver um período de espera que deveria ser observado entre o pedido de casamento e a realização da cerimônia matrimonial.

É por isso que hoje existe o noivado (e o anel) e depois o casamento (e a aliança de casamento). O primeiro anel de noivado de que se tem notícia foi dado por Maximiliano I, Rei da Alemanha, a Maria de Burgundy em 1477.






 Fonte: Significado da Tradição das Alianças por homedanoiva.com
 Fotos: Google Imagens